Vivacorp

Os Perigos da Ingestão de Anfetaminas e o Ato de Dirigir

O abuso no consumo de Anfetaminas,  que são substâncias psicoativas, potentes estimulantes do Sistema Nervoso Central (SNC),  está  sendo considerado como um grave problema no Brasil, pois nosso pais é o campeão mundial em prescrições deste tipo de medicação.

 As chamadas “bolinhas”, cujas formas mais conhecidas são a anfepramona ou dietilpropiona,  o femproporex e a ritalina, são remédios de uso controlado, portanto só devem ser consumidos sob prescrição e com orientação médica, seguindo-se rigorosamente a dosagem recomendada, porque trazem para seus usuários uma série de conseqüências perigosas, tanto para a parte física como para a atividade mental.

Utilizar anfetaminas fora dos critérios médicos, como “rebites” para vencer o cansaço e dirigir sem pausas para descanso, pode levar os usuários a sentirem sintomas, tais como:

Aumento da pressão arterial, palpitação e arritmias nos batimentos cardíacos, dificuldade para urinar, constipação ou diarréia, e nas mulheres a contração uterina, o que pode provocar cólicas e até aborto. Como as pupilas dilatam sob o efeito da anfetamina, também fica difícil evitar o ofuscamento provindo de faróis da pista contrárea.

No SNC, a anfetamina inibe o sono, aumenta o estado de alerta, inibe o apetite, altera o humor, aumenta a iniciativa, provoca euforia e agitação psicomotora. Outros efeitos colaterais importantes  são: cefaléia,  tontura, hipertermia, tremores, e em doses maiores pode provocar confusão mental, agressividade, crises de pânico e no extremo, podem surgir alucinações e delírios, sintomas denominados “psicose anfetamínica”  .

Embora a performance da pessoa pareça estar aumentada, quanto mais a tarefa exija atenção e  concentração ( como por exemplo o ato de dirigir), maior a possibilidade de erros, podendo predispor o motorista a riscos de acidentes graves.

O uso prolongado normalmente de anfetaminas causa dependência, bastante parecida com a dependência da cocaína e na abstinência surgem estados de ansiedade, depressão, fadiga e exaustão.

Se você tem problemas com o uso de anfetaminas, procure ajuda especializada o mais rápido possível. É mais seguro para você e para os que dependem de você!

Carla Maria Montalto

Especialista em Dependência Química

Gostou desse conteúdo? Compartilhe!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
E-mail